CDHP participa da Conferência Municipal de Saúde.

A proposta é discutir com a sociedade uma participação mais efetiva da mesma junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) de forma a empoderar o usuário como parte importante na tomada de decisões quando o assunto é políticas públicas para saúde.

O secretário municipal de Saúde, Daniel Borini, vê no controle social um excelente aliado para instituição de políticas públicas. “É importante que todos participem e que se envolvam nessas discussões, seja nos conselhos de saúde locais, nas pré-conferências e na conferência. O usuário do SUS também deve ser ouvido na tomada de decisões”, pondera.

Começa nesta terca-feira dia 26 e 27, a Conferência Municipal de Saúde organizada pelo Conselho Municipal de Saúde. A conferência desta será no Auditório Cuida da UFT com participação da sociedade, membros do Conselho e trabalhadores que atuam nos Centros de saúde e comunidade em geral, e dentro desses membros estão CDHP.

A proposta é discutir com a sociedade uma participação mais efetiva da mesma junto ao Sistema Único de Saúde (SUS) de forma a empoderar o usuário como parte importante na tomada de decisões quando o assunto é políticas públicas para saúde.

Tanto às pré-conferências que aconteceram quanto às conferências municipais e estaduais são preparatórias para a 16ª Conferência Nacional de Saúde (04 a 07 de agosto 2019 em Brasília-DF) que tem como tema “Democracia e Saúde”.

Três eixos temáticos permeiam o debate: Saúde como direito focando no controle social na garantia desse direito; Consolidação do SUS que busca reafirmar, entre outros princípios do SUS, a universalidade, equidade, integralidade e participação social; e o Financiamento do SUS que busca combater o sub-financiamento ou investimentos precários, de forma a garantir acesso aos serviços de saúde a todos.

“É importante que a comunidade se envolva nessas discussões, porque mais do que em qualquer outro momento precisamos garantir a todos o acesso aos serviços do SUS. Saúde deve ser prioridade em qualquer gestão e os recursos devem ser aplicados de acordo com as reais demandas da sociedade”, ressalta o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Antônio Granjeiro Saraiva,

O secretário municipal de Saúde, Daniel Borini, vê no controle social um excelente aliado para instituição de políticas públicas. “É importante que todos participem e que se envolvam nessas discussões, seja nos conselhos de saúde locais, nas pré-conferências e na conferência. O usuário do SUS também deve ser ouvido na tomada de decisões”, pondera.

Saiba mais:

Os Conselhos de Saúde são órgãos deliberativos que atuam como espaços participativos estratégicos na reivindicação, formulação, controle e avaliação da execução das políticas públicas de saúde. Já as Conferências de Saúde consistem em fóruns públicos que acontecem de quatro em quatro anos, por meio de discussões realizadas em etapas locais, estaduais e nacional, com a participação de segmentos sociais representativos do SUS (prestadores, gestores, trabalhadores e usuários), para avaliar e propor diretrizes para a formulação da política de saúde.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Página do CDHP

Página do MEDH