Encontro sobre Direitos Humanos no Centro de Ensino Médio Castro Alves em Palmas

O Centro de Direitos Humanos de Palmas (CDHP) é parceiro da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) na realização da Semana do Ativismo em Direitos Humanos, um evento alusivo à Semana Nacional dos Direitos Humanos.

Na manhã desta quarta-feira, 28, os estudantes da 1ª série do ensino médio, do Centro de Ensino Médio Castro Alves, participaram das rodas de conversa referentes aos Direitos Humanos.

As rodas de conversas irão ocorrer, entre 26 e 30 de agosto, nas unidades escolares da Rede Estadual de Ensino em Palmas, envolvendo estudantes das séries finais do Ensino Fundamental e do Ensino Médio, com a participação de professores, coordenadores, pesquisadores, diretores de escolas e órgãos que atuam junto aos jovens e adolescentes.

Estudantes do CEM Castro Alves participam de rodas de conversa sobre Direitos Humanos – Foto: Divulgação

Entre os objetivos do trabalho destacam-se ouvir os estudantes e promover um espaço democrático, na unidade escolar, para o debate sobre Direitos Humanos e Diversidade, além de chamar atenção das instituições e da sociedade sobre as crescentes violações de Direitos Humanos, que são recorrentes na sociedade.

Cerca de 40 estudantes do CEM Castro Alves participaram do encontro, esclarecendo dúvidas e fazendo ponderações a respeito do que são os direitos humanos, e como as violações podem ser percebidas em muitos casos.

Semana de Direitos Humanos no CEM Castro Alves – Foto: Divulgação

Conforme Patrícia Ryllarhy, estudante da primeira série, o evento proporcionou conhecimento que serve para toda a vida. “As discussões foram interessantes, e de forma clara trouxeram entendimento sobre direitos humanos e direitos fundamentais. Tudo isso pode ser aproveitado ao longo da vida das pessoas”, ponderou.

Segundo Sívia Silva Siqueira, orientadora educacional, a forma como foi desenvolvido o trabalho despertou a atenção dos estudantes. “Percebemos que essa atividade também é uma aula, pois traz conhecimentos transdisciplinares que contribuem para desenvolver o pensamento crítico dos estudantes de forma geral. Muitas vezes utilizar um espaço delimitado para pessoas idosas, ou mesmo ultrapassar uma fila é uma forma de violação de um direito que muitas pessoas praticam sem perceber. As discussões trazem reflexões sobre coisas que parecem simples, mas que podem maltratar o ser humano”, comentou.

Orientadora Sílvia Silva e professor Romeu Feix na roda de conversas sobre Direito Humanos

Para Romeu Aloísio Feix, técnico da Seduc e coordenador do CDHP, os encontros nessa modalidade de trabalho proporcionam melhor entendimento do assunto para os estudantes. “Há muito a ser discutido sobre direitos humanos. Precisamos tratar desse assunto como algo inerente a vida. Devemos conhecer o que aponta a Carta dos Direitos Humanos e também tecer uma comparação com a Constituição Federal que são documentos alinhados à essa temática. Os princípios como a dignidade da pessoa humana, da isonomia e da legalidade estão presentes tanto nos direitos humanos como na nossa Constituição, devemos colocar mais esse assunto na prática”, finalizou.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Página do CDHP

Página do MEDH